Banner Lai

Acesso Rápido

O que você precisa?

Telefones Úteis


Página Inicial Lista de Noticias CBMCE atende dezenas de incêndios em vegetação por dia
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
CBMCE atende dezenas de incêndios em vegetação por dia
Ter, 19 de Setembro de 2017 15:54

CBMCE atende dezenas de incêndios em vegetação por dia

.


.

“Do início do serviço até o momento, somente em ocorrências de fogo no mato, temos 22 registradas. Vários ABTs no combate”, relatava o oficial do Corpo de Bombeiros de serviço na Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), no último sábado, quatro horas após assumir o serviço. E como os incêndios em vegetação podem se alastrar por áreas que se medem em hectares, esse tipo de combate drenou a força de trabalho da Corporação por todo o dia. “No momento, 15 ocorrências de fogo no mato. ABTs no combate”, informava às 18h o mesmo oficial em grupo de comunicação interna dos bombeiros.

.

Desde o mês de agosto, o incêndio em vegetação disparou em todo o estado. Se de janeiro a julho deste ano, as estatísticas das Ciops registram 507 ocorrências de incêndio em vegetação em todo o estado, só em agosto houve 441, uma média de mais de 14 por dia. O clima mais seco, meses após o fim da quadra chuvosa, apenas torna mais fácil a disseminação do fogo pelas áreas verdes. Mas é a ação humana, intencional ou não, que desencadeia virtualmente todas as ocorrências desse tipo no Ceará. “Um incêndio que surge de forma espontânea é um fenômeno muito raro de ser observado na natureza, pois só ocorre em condições bem específicas. Nos locais em que há grande acúmulo de matéria orgânica, como lixões e pântanos, ocorre a lenta formação do gás metano, que é inflamável, devido à fermentação realizado pelas bactérias decompositoras. Porém, como a maioria dos incêndios que atendemos acontecem em locais bem diferentes deste perfil, é possível dizer que nossas ocorrências raramente se iniciam sem a ação humana”, explica o primeiro-tenente José Guilherme Veras Neto, mestre em química.

.

Mas se engana quem acha que o conhecido toco de cigarro despejado em canteiros e terrenos baldios seria um vilão relevante nessa história. Em cursos de especialização em combate a incêndio florestal, é muito comum a prática de tentar induzir fogo no mato por meio de restos de cigarro acesos, a título didático. Os resultados são pífios. Por mais ressecada que esteja a vegetação, não se consegue desencadear o incêndio dessa forma.

.

É o velho hábito de queimar material indesejável de quintais e terrenos que se revela, na prática a maior ameaça. “É muito comum que o homem queira se livrar de grande quantidade de lixo queimando-o. Nessa época do ano, a ausência de chuvas, o tempo seco e a alta temperatura favorecem o aumento do número desse tipo de ocorrência, em que o incêndio começa em um monturo, mas acaba se espalhando fora de controle para as vegetações ou residências que estejam próximas. Essa prática é muita perigosa e deve-se evitar queimar lixo, procurando o descarte seguro”, propõe o tenente Guilherme.

 

 

Serviços

Agenda - Dezembro 2017

Do Se Te Qu Qu Se Sa
26 27 28 29 30 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31 1 2 3 4 5 6

Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará - Rua Oto de Alencar, 215 Centro - Cep 60.010-270, Fortaleza/Ce

Fone: (85) 3101.2219 / Horário de atendimento: 08h às 12h - 13h às 17h

© 2008 - Governo do Estado do Ceará. Todos os Direitos Reservados